terça-feira, 16 de outubro de 2007

ah, o amor

Delícia de poema... adorei!

Vamos brincar, amor? Vamos jogar peteca
Vamos atrapalhar os outros, amor, vamos sair correndo
Vamos subir no elevador, vamos sofrer calmamente e sem precipitação?
Vamos sofrer, amor? Males da alma, perigos
Dores de má fama íntimas como as chagas de Cristo
Vamos, amor? Vamos tomar porre de absinto
Vamos tomar porre de coisa bem esquisita, vamos
Fingir que hoje é domingo, vamos ver
O afogado na praia, vamos correr atrás do batalhão?
Vamos, amor, tomar thé na Cavé com madame Sevignée
Vamos roubar laranja, falar nome, vamos inventar
Vamos criar beijo novo, carinho novo, vamos visitar N. S. do Parto?
Vamos, amor? Vamos nos persuadir imensamente dos acontecimentos
Vamos fazer neném dormir, botar ele no urinol
Vamos, amor?
Porque excessivamente grave é a Vida.

Vinícius de Moraes

Poema copiadinho, assim de leve, do blog da Dri. A menina manda tão bem que há algumas coisas que fica impossível não tomar pra si. Valeu, Dri!

Este poema me fez lembrar Ivan Lins cantando:

"Lembra de mim
Nós dois na rua provocando os casais
Amando mais do que o amor é capaz
Perto daqui
Há tempos atrás"

Um comentário:

Adriane disse...

Ah, que linda você! Seja bem-vinda sempre!
Beijos.