quinta-feira, 20 de março de 2008

inimaginável beleza e dor

SAIR

Largar o cobertor, a cama, o
medo, o terço, o quarto, largar
toda simbologia e religião; largar o
espírito, largar a alma, abrir a
porta principal e sair. Esta é
a única vida e contém inimaginável
beleza e dor. Já o sol,
as cores da terra e o
ar azul – o céu do dia –
mergulharam até a próxima aurora; a
noite está radiante e Deus não
existe nem faz falta. Tudo é
gratuito: as luzes cinéticas das avenidas,
o vulto ao vento das palmeiras
e a ânsia insaciável do jasmim;
e, sobre todas as coisas, o
eterno silêncio dos espaços infinitos que
nada dizem, nada querem dizer e
nada jamais precisaram ou precisarão esclarecer.

Antonio Cicero
De A cidade e os livros (Record, 2002)

Nota: Antonio Cicero nasceu no Rio de Janeiro em 1945. Estudou na Inglaterra e nos Estados Unidos. É poeta, filósofo e letrista de MPB (em parcerias sobretudo com sua irmã, Marina Lima).

Bom feriado e boa páscoa! Ah, não abuse do chocolate - pode causar espinhas e piorar o estado de ansiedade dos mais estressadinhos. rs

2 comentários:

Cacá BH disse...

hehehehe
como não sou estressada, vou me acabar no chocolate....
hehehehe
beijos

disse...

Gosto de passar aqui pra ver o teu bom gosto na escolha dos textos.

Ihhh, acho q li tarde demais a recomendação sobre chocolate... :(