quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

pequenos grandes terremotos

Hoje me cobraram a atualização do blog. Veja você, tem gente querendo atualização praticamente em tempo real. Pensei em sugerir uol, folha e demais sites que fazem isso como ninguém, mas... deixa pra lá. BCS agradece a preferência. :-)

Assombros

Às vezes, pequenos grandes terremotos
ocorrem do lado esquerdo do meu peito.
Fora, não se dão conta os desatentos.
Entre a aorta e a omoplata rolam
alquebrados sentimentos.
Entre as vértebras e as costelas
há vários esmagamentos.
Os mais íntimos
já me viram remexendo escombros.
Em mim há algo imóvel e soterra
doem permanente assombro.

Affonso Romano de Sant'Anna

... e ainda, pra completar:

"Tão estranho
carregar uma vida inteira no corpo
e ninguém suspeitar
das quedas, dos medos e dos choros."

Caio Fernando Abreu

Porque ninguém, ninguém mesmo, sabe o que se passa dentro da nossa linda cabecinha. Das viagens interiores, do que poderia ter sido e não foi, do que será um dia e do íntimo do sentimento que corre lá dentro, do lado esquerdo do peito. Por mais que a gente tenha com quem dividir, algumas coisas são assim mesmo: indivisíveis.

Um tempo atrás o Saia Justa (programinha ótemo que passa no GNT) falou sobre o carcinoma do desamparo, que é o sentimento que chega quando se percebe que sim, você é sozinho no mundo, e precisa aprender a lidar com seus medos, fraquezas e necessidades so-zi-nho, você e seu travesseiro. Não há a escola, os amigos, o namorado, a família. Só você com você. Algumas pessoas percebem isso mais cedo, outras mais tarde, e há ainda os que não percebem, e ficam se apoiando em quem está por perto. Usam os outros como muleta. As pessoas queridas te dão o apoio e não te deixam cair - mas o processo é unicamente seu, de mais ninguém. E aí eu me pego pensando como crescer é difícil. E isso independe de idade, raça, sexo, posição social. Se você ainda não passou por isso, aguarde. Um belo dia comum, o carcinoma chega. E com ele vem os terremotos, esmagamentos e todo tipo de assombros que o coração pode suportar. Nossa, como estou dramática hoje. Maria do Bairro perderia feio. Mas é por uma boa causa. Muito boa, aliás.

2 comentários:

Ju disse...

Aê, dá-lhe carcinoma!!! Mas olha só, Affonso e carcinoma no mesmo post é pra abalar as estruturas, hein? Zézuis!!!

Anônimo disse...

eu assino uol... eu leio a folha... eu assisto a globo news... eu escuto conversa em metrô... acompanho as fofocas do elevador... enfim... mas este blog eh fundamental!
abs agradecidos... [:)]