terça-feira, 3 de junho de 2008

amigos: sorte de quem os têm.

Ainda que algumas pessoas não gostem (rs), reproduzo o que de mais belo já li sobre um dos sentimentos mais nobres e duradouros, a amizade:

"Eles exigem-nos coisas de nada. As nossas lágrimas. O nosso lenço de assoar. A pele dos nossos inimigos. As batatas fritas do nosso bife. A nossa melhor roupa, por uma noite. Exigem-nos tudo o que nos dão. É preciso regá-los regularmente: é nos ombros deles que cai toda a água dos nossos olhos. Eles espevitam-nos o sentido de humor quando menos nos apetece. E depois ficam connosco quando as luzes se apagam e toda a gente se foi embora. Só aos amigos é dado o espectáculo da nossa miséria."

"Os amigos. Entrariam por uma casa em chamas para nos salvarem. Mentem por nós à nossa própria mãe. Sabem de nós mais do que somos capazes de lhes dizer. Jurariam que à hora do crime estávamos a tomar chá com eles. Mesmo que a polícia nos encontrasse com as mãos cheias de sangue. “São rosas, senhores. Andei com ela toda a tarde a cortar rosas, senhores. Sangue de espinhos, senhores.”"

"Amor, amizade, o que é que isso quer dizer? São convenções, minha querida. As pessoas amam-se ou não se amam. Depois há diversas formas de exprimir esse afecto, que vão mudando ao longo do tempo. O que acontece é que a sua família é composta por pessoas intensas. Pessoas capazes de suportar a permanência do sentimento, com todos os seus desequilíbrios internos, uma vida inteira. Não há muitas pessoas assim. Nunca houve. É por isso que eu gosto tanto de si. Porque a menina honra essa herança no seu coração."

Inês Pedrosa

3 comentários:

pedrita disse...

verdade. beijos, pedrita

Macabéa disse...

obridada pela parte que me toca... pois sei bem para quem a senhorita escreveu: (...)Ainda que algumas pessoas não gostem (rs), reproduzo o que de mais belo já li sobre um dos sentimentos(...). Não gosto mesmoooooooooo preferia ler o que você acha desse sentimento e não o que a Inês Pedrosa escreveu dele; mas ter amigos é isso. Tentar aceitá-los, mesmo quando o gênero blog fica um pouco "errado", rs. beijos amiga querida.

Ju disse...

gostei demais do texto. vou mandar pra uma pessoa que anda distante, numa última e derradeira tentativa de aquecer seu coraçãozinho. não custa tentar, né? eu não desisto fácil.