quarta-feira, 22 de julho de 2009

o substituto do amor

Achei interessante uma matéria da Revista Vida Simples que fala sobre generosidade. Ok, o assunto não é novo, mas como tem gente por aí que simplesmente não aprende, não aceita ou não faz a menor questão de colocar em prática a máxima "faça o bem sem olhar a quem". Eu faço isso por você, mas e você, o que faz por mim? Como se a vida fosse um eterno jogo de interesses.

Esses 2 parágrafos resumem bem a idéia da reportagem e também o que eu penso sobre o assunto:

(...)“Em uma sociedade que pede apenas que você receba, nunca doe, a generosidade é um treino”, diz a terapeuta existencial e professora da PUC-SP Dulce Critelli. Para ela, o primeiro passo para a generosidade é sacar se somos, individualmente, capazes de oferecer. “O desafio é estar atento às necessidades da vida em comum, não só às nossas”. Para poder ajudar o outro, o primeiro passo é enxergá-lo, ouvi-lo, perceber suas necessidades.

Uma vez que percebemos, é hora de partir a ação. Porque ser generoso é, antes de tudo, uma escolha. É diferente, por exemplo, do amor. Quando amamos, seja um filho, seja um companheiro ou um amigo, somos capazes de grandes sacrifícios. Sem nem pensar duas vezes, uma mãe passa a noite na cabeceira do filho doente. Mas, se a criança em questão não for nosso filho, não somos capazes do mesmo gesto. Comte-Sponville pergunta: se o mendigo na rua fosse alguém que amamos, recusaríamos a ajuda que ele pede? A generosidade existe, então, como substituto do amor, para os casos em que não sentimos amor – afinal, não escolhemos senti-lo. Precisamos aprender a compartilhar com desconhecidos como fazemos com as pessoas que amamos.(...)

Reportagem completa no site da Revista Vida Simples.

3 comentários:

renata disse...

eu gosto desta revista.. bem interessante esta materia.. =)
bjs.

Ju disse...

show-de-bola. Hj vi uma matéria sobre o Haiti e senti vontade de levar TODAS as crianças pra minha casa. Não as amo, mas quero muito ajudá-las. Esse sentimento é bom né?

Annanda Galvão disse...

muito bom!
é fácil ajudar o próximo quando o próximo é alguém que a gente ama né...difícil é ser amável quando não existe amor.
ah! aproveito para agradecer o comentário...lindo lindo!
Fico muito lisongeada...é bom poder transformar saudade em palavra e em contato com outros...no caso vc!!!
E quanto ao filme que vc citou...ainda não vi..sou doida pra ver! agora ainda mais!!!
Obrigada pelas palavras de sempre!
beijinhos!!!